TCE-MS apresenta boas práticas de gestão de riscos para Tribunais da região Sul
Por Redação Publicado 3 de junho de 2017 às 14:30hs

O encontro promovido pela Escola Superior de Gestão e Controle Francisco Juruena, do TCE do Rio Grande do Sul, reuniu presidentes, conselheiros e servidores dos Tribunais dos Estados do Sul e de Mato Grosso do Sul. Durante dois dias os participantes trocaram experiências e compartilharam conhecimento através de relatos de boas práticas adotadas pelos Tribunais.

O presidente do TCE-MS, conselheiro Waldir Neves, e o diretor de gestão e modernização, Douglas Avedikian, acompanhados do auditor, conselheiro substituto Célio Lima de Oliveira e do secretário geral do Ministério Público de Contas, José Lauro Sanches, apresentaram as ações de modernização implantadas na atual gestão compartilhada do TCE-MS com o objetivo de avançar na efetividade. “Nosso Tribunal tomou a iniciativa de buscar ferramentas modernas e inovadoras, capazes de oferecer aos gestores públicos transparência e segurança, e ainda a possibilidade deles tomarem decisões mais acertadas durante suas administrações evitando com isso desperdício e desvio do dinheiro público. Trata-se da gestão de riscos que é, sem dúvida, uma excelente matriz para essa finalidade,” esclareceu o presidente.

O diretor de gestão e modernização, Douglas Avedikian, apresentou o painel “Gestão de riscos e a extração de dados do TCE-MS”. A ferramenta, que já foi apresentada até em uma Conferência Ibero Americana,  está sendo utilizada no gerenciamento de risco e, segundo ele, é uma metodologia nova, desenvolvida para que as Cortes de Contas utilizem todo o conceito de risco em termos de probabilidade no controle externo. “Dessa forma temos plenas condições para avançar no sentido de tornar o TCE-MS uma organização que utiliza as mais modernas ferramentas e metodologia de gestão e de TI. O Gerenciamento de Riscos e o E-EXTRATOR já são hoje uma realidade no TCE-MS e cada vez mais iremos aperfeiçoar essas ferramentas e metodologias otimizando o seu uso no controle externo”, destacou o diretor.

 O sucesso do encontro fez com que o presidente da Corte de Contas do Mato Grosso do Sul, conselheiro Waldir Neves, sugerisse que ele passe a acontecer regularmente e seja adotado o nome o TCE Sul. “Gostaria de sugerir que o 2° TCE Sul seja realizado em agosto em MS, o 3° no Paraná em outubro e o 4° em dezembro em Santa Catarina”. Waldir Neves propôs ainda que os Tribunais participantes assinem um termo de cooperação para a troca de experiências de sucesso. “Esse compartilhamento das experiências que deram certo é fundamental. Nosso trabalho é preventivo e pedagógico. Estamos desenvolvendo tecnologia própria para poder compartilhar com demais Tribunais e queremos também conhecer as experiências positivas dos demais Estados.”