Tacuru vive ‘clima tenso’ às vésperas da eleição suplementar
Por André Farinha Publicado 29 de maio de 2017 às 20:09hs
Os candidatos a prefeito: Paulo Sérgio Lopes de Melo (PP) e Carlos Alberto Pelegrini (PMDB) (Foto: Divulgação)

A polícia segue com a investigação sobre o atentado contra a vereadora e candidata à vice-prefeita de Tacuru, Daiana Pedrotti (PT do B). O município terá eleições suplementares para prefeito e vice no próximo domingo (04), duas chapas competem no pleito: uma das chapas é encabeçada pelo vereador. presidente da Câmara Municipal e atual prefeito em exercício da cidade, Paulo Melo (PP), que tem como vice a Daiana, e a outra tem como candidato a prefeito o ex-vereador Carlos Pelegrini (PMDB), que fora o segundo colocado no pleito de 2016, o vice é o vereador Marcelo Carlos Gargantini Marques (PMDB). 

Saiba mais:

Tacuru terá eleições para prefeito e vice no próximo mês

Restando menos de dez dias para a eleição, um atentado chocou a cidade na noite de domingo (28). Conforme o Boletim de Ocorrência, Daiana estava em um assentamento de Tacuru quando teve o seu veiculo foi atingido por, pelo menos, quatro disparos de arma de fogo. Na ocasião, havia uma passageira no carro, por sorte, ninguém ficou ferido no ato.

A Polícia Civil chegou a prender dois homens logo após o atentado, no entanto, o delegado responsável pelo caso, Fabrício Dias dos Santos, informou que os suspeitos foram enquadrados por porte ilegal de arma de fogo e não têm ligação com o crime. O caso foi registrado como disparo de arma de fogo.

A Eleição Suplementar em Tacuru foi definida após a cassação da chapa vencedora do pleito de 2016. O prefeito eleito Claudio Rocha Barcelos, também chamado de Dr. Claudio (PR), teve os direitos políticos suspensos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso de poder.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!