Semanas Literárias da REME realiza encontro com escritores
Por Redação Publicado 19 de abril de 2018 às 09:11hs

Incentivar o hábito da leitura através de ações lúdicas e debates com escritores sul-mato-grossenses. Estas são as ferramentas utilizadas por escolas da Reme (Rede Municipal de Ensino) para trabalhar o universo das palavras durante a Semana Literária, realizada por diversas unidades até sexta-feira (20).

As atividades são alusivas ao Dia Nacional do Livro Infantil, comemorado nesta quarta-feira (18) e que foi criado em 2002 para homenagear o escritor Monteiro Lobato, um dos autores mais expressivos do universo infantil.

Na escola “Hércules Maymone”, localizada no bairro Nova Lima, a equipe de professores e direção desenvolverá, até sexta-feira (20), a 1ª Semana Literária, que tem a proposta de aproximar os alunos de escritores sul-mato-grossenses. “Queremos levar referências aos alunos e mostrar que eles são acessíveis, pois muitos têm uma visão distante deles, pensam que já morreram”, disse o professor de Língua Portuguesa, Izael Flores de Almeida.

A escola organizou um cronograma formado por debates, discussões e palestras com técnicos da Semed, que estão abordando temas diversos, como a questão indígena e levando profissionais que utilizam a poesia como instrumento de trabalho para conversar com os estudantes sobre as diversas formas de expressão literária.

Um dos nomes mais expressivos da poesia da literatura do estado, a poetisa premiada Raquel Naveira, abriu a semana com a palestra “O fazer literário”. Para a escritora, a parceria entre poesia e educação são elementos fundamentais na construção do saber. “Poesia é um conhecimento existencial e intuitivo, uma atitude perante a vida, assim como a educação, que se apodera dessas competências. A Educação é o momento onde a pessoa terá o encontro com o universo da escrita, da reflexão sobre si mesmo. Sou professora e toda minha vida foi baseada nesse binômio”, destacou.

Um exemplo de diversidade é o grupo ZN La Firma, que compõe letras de Rap e está na escola  nesta quarta-feira abordando a questão da poesia neste tipo de arte. Também já passaram pela Semana Literária, os escritores André Luiz Alves, Maria Helena Santi e Angela Cristina Colognesi dos Reis, que participaram de uma roda de conversa sobre como ser escritor em Mato Grosso do Sul.

A proposta também é interagir com as demais disciplinas, tanto que até uma oficina unindo química e literatura foi desenvolvida nesta quarta-feira.  “Sentimos a necessidade de ampliar o evento trazendo para a comunidade uma produção externa, criando um repertório cultural para os alunos”, enfatizou o professor.

Principal homenageado do evento, o poeta Emanuel Marinho estará na escola nesta quinta-feira (19) durante todo o dia conversando com os alunos e discutindo suas obras. Segundo o professor Izael Almeida, a ideia de homenageá-lo partiu dos professores. “O Manoel de Barros já está no imaginário de todos nós, por isso buscamos alguém com o mesmo peso, que tem obras que fazem parte da bibliografia de vestibulares e tem um trabalho vasto e importante”, explicou.

Para a aluna Maria Eduarda dos Santos, 12 anos, do 6º ano, a Semana Literária é um incentivo para descobrir obras. “Gosto de ler livros, contos e historias em quadrinhos e por causa do evento acabei estudando sobre o Emanuel Marinho e farei até uma leitura”, disse

Fantasia

Já na escola “Múcio Teixeira Júnior”, a Semana Literária tem como foco os alunos da pré-escola ao 5º ano e destaca a vida e obra de Monteiro Lobato. Para explorar o tema, foram criados espaços na área externa da escola, decorados com elementos literários e pedagógicos, como tapetes pedagógicos, livros e decoração que remete ao escritor. Para criar um clima aconchegante, até uma pequena montada foi elaborada.

A diretora-adjunta da unidade, Fátima Martinez, explica que a maior parte do acervo utilizado é oriundo de uma coleção do FNDE, formada por kits de obras de Monteiro Lobato.

“No espaço, as crianças escolhem o livro e fazem leituras para os colegas da turma. Já os pequenos da pré-escola ganharam um espaço com ilustrações, moldura e até figurino para fotografarem com roupas dos personagens do escritor, como a boneca Emília e o Visconde de Sabugosa.  Com isso promovemos uma interação entre os alunos”, disse Fátima Martinez.

Todo o projeto foi criado pela equipe da escola e reflete o trabalho desenvolvido na biblioteca da unidade durante o ano. “Investimos no lúdico porque é importante para a criança vivenciar esse mundo de fantasia”, concluiu. Já os alunos do 6º ao 9º desenvolveram atividades na disciplina de Língua Portuguesa, através de seminários e debates.