Santos goleia, mas com “ajudinha” do árbitro, Flamengo sai da Vila classificado na Copa do Brasil
Por André Farinha Publicado 26 de julho de 2017 às 23:05hs

Nos últimos anos, Santos e Flamengo ficaram marcados pelo jogo espetacular que protagonizaram em 2011, com show de Neymar e Ronaldinho Gaúcho. Na ocasião, o Rubro-Negro levou a melhor, vencendo por 5 a 4 na Vila Belmiro, pelo Brasileirão. Nesta quarta-feira, no mesmo palco, mas pela Copa do Brasil, as equipes relembraram aquele confronto, protagonizando um novo jogaço, com viradas e várias alternativas. Desta vez, o Peixe levou a melhor, ganhando por 4 a 2. Porém, quem saiu feliz do estádio mais uma vez foi o time carioca, que segurou a vantagem de dois gols de diferença e conseguiu avançar para as semifinais.

Gols e polêmica
Como uma boa decisão deve ser, o jogo começou eletrizante na Vila. Precisando reverter a vantagem de 2 a 0 do Flamengo, o Santos se lançou ao ataque desde os primeiros minutos, mas esbarrou na defesa bem postada do Rubro-Negro, que aproveitou um contragolpe e jogou um balde de água gelada na torcida santista.

Logo aos nove minutos, Diego, deu lindo passe para Berrío. O colombiano ganhou da zaga na corrida e bateu por cima de Vanderlei para abrir o placar e aumentar a vantagem do time carioca.

Com tento sofrido, o alvinegro passou a precisar vencer por 4 a 1 para avançar na Copa do Brasil. Mesmo com a missão ingrata, os santistas não se abateram e quase chegaram ao empate no lance seguinte, quando Victor Ferraz cruzou na área e Copete cabeceou muito perto da trave direita e Muralha.

 Após a chance perdida, porém, o Peixe começou a sentir o nervosismo da desvantagem e não conseguiu chegar com qualidade ao ataque. Já o Flamengo, satisfeito com o resultado, passou a ‘cozinhar’ o Santos no meio de campo, além de fazer a famosa ‘cera’ em cada falta marcada pelo árbitro Leandro Vuaden.

Sem conseguir penetrar na zaga do Flamengo, o alvinegro começou a arriscar chutes de longa distância. De tanto tentar, a equipe comandada por Levir Culpi alcançou o empate. E foi em grande estilo. Aos 33 minutos, Bruno Henrique avançou pela esquerda e soltou uma bomba de fora da área. A bola entrou na gaveta, sem chances para Muralha.

A igualdade deu um novo ânimo ao Peixe, que passou a pressionar o Flamengo. Porém, uma polêmica aos 40 minutos acabou roubando a cena no jogo. Bruno Henrique recebeu passe no meio, avançou para dentro da área e foi derrubado por Réver. Pênalti marcado para o Peixe.

Mas sem vídeo e apenas uma consulta simples ao quarto árbitro, Leandro Vuaden foi bastante pressionado pelos flamenguistas, conversou com o quarto árbitro e acabou anulando a penalidade, alegando que o zagueiro tocou na bola e cometeu falta no lance. Os santistas se revoltaram com a arbitragem e gritos de ‘vergonha’ foram ouvidos na Vila. Porém, o primeiro tempo acabou mesmo no 1 a 1, com o Mengo, saindo em vantagem pelo fato de não ter sido marcado  o pênalti que foi claríssimo.

Virada santista, mas Rubro-Negro classificado
Precisando marcar mais três vezes para avançar, o Santos viu o Flamengo jogar um novo balde de água congelada logo no primeiro minuto de jogo. Everton passou como quis pela zaga do Peixe e rolou para Guerrero. Matador, o peruano bateu firme para fazer 2 a 1 na Vila.

Porém, quem achou que o Rubro-Negro ‘matou’ o jogo e foi dormir, perdeu um jogaço em Urbano Caldeira. Sete minutos depois, Copete subiu mais que todo mundo em cobrança de escanteio e empatou novament, numca falha gritante do goleiro do Mengo, Muralha.

Na jogada seguinte, Bruno Henrique ajeitou para Victor Ferraz, que chutou forte e virou a partida para o Peixe.

Após a virada, a torcida enlouqueceu na Vila Belmiro. Porém, o Flamengo conseguiu segurar a pressão do alvinegro e voltou a ‘esfriar’ o jogo, abafando a pressão dos santistas. No último minuto, Copete ainda conseguiu marcar o quarto. Mas não havia tempo para mais nada. Faltou um gol para o Santos e o Rubro-Negro que mesmo sendo goleado, saiu de Urbano Caldeira com a classificação.