Projeto premia melhores vídeos com visitas de alunos da reme a bibliotecas públicas
Por Redação Publicado 18 de abril de 2018 às 09:10hs

No mês dedicado a literatura infanto-juvenil, escolas da Rede Municipal de Ensino (Reme) estão realizando diversos eventos literários que têm o objetivo de comemorar duas datas importantes: o Dia Internacional do Livro Infantil, lembrado no dia 2 de abril e o Dia Nacional, comemorado na quarta-feira (18).

Contações de histórias, apresentações culturais, exposições e palestras com escritores sul-mato-grossenses são alguns dos eventos que vem sendo desenvolvidos por alunos da Reme e pela equipe que coordena as bibliotecas escolares.

Entre os principais projetos está o “Mediadores da Leitura: cultivando leitores”, o projeto que vem acontecendo desde o início do mês, propõe aos profissionais que atuam nas bibliotecas das unidades da Rede Municipal, o desafio de formar alunos mediadores de leitura, que tem como papel estimular a literatura no ambiente escolar, utilizando os recursos que a escola oferece.

A responsável pela equipe das bibliotecas escolares da Reme, Rosilene de Melo, explica que o projeto é fruto de um trabalho de incentivo a leitura que vem sendo desenvolvido desde o ano passado através do “Programa Educação em Foco: Múltiplas Dimensões da Formação Continuada”. “Ano passado trabalhamos com os técnicos e profissionais das escolas. Este ano nosso foco foi os alunos, fazer com que eles contassem as histórias aos seus colegas”, disse.

A partir desta ideia, os professores e profissionais que atuam nas bibliotecas escolares trabalharam com as turmas de forma que eles escolhessem livros para serem divulgados entre os colegas da própria turma ou da escola através de dinâmicas que variaram desde simples rodas de contações até peças de teatro e números musicais.

Para incrementar o projeto, foi criado um evento na página do facebook da Semed, onde as turmas que desejassem, poderiam postar um vídeo mostrando a forma que escolheram para contar a história aos amigos. Os vídeos com o maior número de curtidas foram os vencedores.

Ao todo, 45 escolas participaram inscrevendo 78 vídeos, que tiveram 7.110 curtidas, alcançando 11 mil pessoas. A premiação é uma visita das turmas vencedoras, que começou nesta terça-feira (17), às bibliotecas “Isaías Paim”, localizada no Memorial Apolônio de Carvalho, na Avenida Fernando Correa da Costa e na “Ana Luíza Prado”, situada no Horto Florestal.

As escolas vencedoras foram “Desembargador Carlos Garcia de Queiroz”, que conquistou o 1º, 2º e 3º lugares e a “Leire Pimentel de Carvalho Correa”, que ficou com o 4º lugar.

A aluna Ana Carolina Oliveira de Veiga, do 8º ano da escola Carlos Garcia, encenou um monólogo para a turma baseado no livro “A Roupa Nova do Rei”. O vídeo conquistou o primeiro lugar, e com isso a turma irá nesta quarta-feira (18), Dia do Livro Infanto-Juvenil, conhecer a biblioteca Isaías Paim.

Ansiosa pela visita, Ana Carolina conta que sempre participa de contações de histórias na escola. “Gosto de ver a reação das pessoas durante a leitura”, disse a aluna, que ano passado participou de ação que realizou leituras para alunos da pré-escola.

Ela acredita que, apesar das tecnologias, é importante frequentar espaços públicos para ter o contato tradicional com os livros. “Às vezes gosto de ler os livros pelo celular, mas conhecer uma biblioteca pode incentivar mais o gosto pela leitura porque você tem contato com outras pessoas”, ressaltou.

Aluna da escola Etalívio Pereira Martins, que também enviou vídeos ao concurso, Júlia Setúbal Lima de Oliveira, que está no 5º ano, acredita que o importante é participar dos projetos. “O que vale é aprender. A leitura influencia as pessoas porque sem ela não temos um bom ensino, por isso sempre incentivo as crianças do Ensino Fundamental”, afirma Júlia, que quando chegou à escola não frequentava a biblioteca. “Comecei a ser chamada para fazer leituras em eventos e acabei gostando. Minha família também me incentiva muito”, destacou.

Para a diretora Sandra Aparecida Penrabel, vivenciar o texto é fundamental no processo criativo do aluno. “Este projeto está sendo ótimo porque são os próprios alunos que contam as histórias, divulgando os livros. Com isso, eles podem interpretar, ajudando os amigos a entrarem no mundo da fantasia”, finalizou.