Prefeituras e governo assinam termo de cooperação para receber Projeto Rondon
Por Redação Publicado 12 de setembro de 2017 às 20:02hs

Comunidades carentes e distantes dos centros urbanos de 11 municípios de Mato Grosso do Sul receberão, de 6 a 22 de julho de 2018, um batalhão de 240 pessoas entre acadêmicos e professores de instituições de ensino superior (IES) do Projeto Rondon. Os termos de cooperação com os prefeitos foram assinados na tarde desta terça-feira (12.9), em solenidade no auditório da Governadoria. Também foi assinado termo de cooperação pelo governador Reinaldo Azambuja e o diretor do Departamento de Ensino do Ministério da Defesa e coordenador geral do Projeto Rondon, brigadeiro de Infantaria Augusto Cesar Amaral. Em Mato Grosso do Sul, a ação foi denominada como Projeto Rondon – Operação Pantanal.

O Projeto Rondon atende municípios com menos de 30 mil habitantes ou que tenham Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) abaixo de 7. “Aqui temos o caráter solene de um trabalho que já vem sendo desenvolvido junto com o Governo de Mato Grosso do Sul desde o ano passado, quando tivemos o primeiro contato para tratar da operação do Projeto Rondon, a Operação Pantanal 2018. Por isso, quero agradecer o governador Reinaldo Azambuja, que acolheu a nossa proposta”, afirmou o brigadeiro de Infantaria Augusto Cesar Amaral em seu discurso durante a solenidade.

O brigadeiro destacou que o Projeto tem a intenção de levar lição de vida e de cidadania à população de regiões afastadas em que o poder público municipal não tem condições de atender pela estrutura que dispõe, e também proporcionar a capacitação dos servidores públicos. Segundo ele, ao acompanhar as ações desenvolvidas pelos professores e estudantes das instituições de ensino superior, a proposta é preparar os gestores públicos, como agentes de saúde, de educação e assistentes sociais, para serem multiplicadores do aprendizado.

Por isso, são selecionados para participar do Projeto Rondon acadêmicos dos mais variados cursos, como medicina, odontologia, esporte, agronomia. De acordo com o cronograma, durante 12 dias os municípios que assinaram o termo de cooperação receberão duas instituições com 10 integrantes cada, formado por professores e acadêmicos. Essas equipes realizarão oficinas nas mais diversas áreas, como de desenvolvimento sustentável, agricultura familiar, saneamento básico e meio ambiente.

O governador Reinaldo Azambuja enfatizou que, além da integração e o atendimento às populações carentes e das regiões afastadas, o Projeto Rondon tem a sua importância para os alunos que estão nas faculdades. “O projeto possibilita que os universitários conheçam a realidade do Brasil, que é tão plural, a diferença que existem entre uma região e outra é enorme. Até mesmo aqui dentro do Estado você tem diferenças enormes”, afirmou.

O prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha, disse que a intenção é que os participantes do Projeto Rondon levem o atendimento prestado às comunidades ribeirinhas, como a do Baixo Taquari, onde a viagem chega a durar 12 horas em embarcação de grande porte. Já a prefeita de Corguinho, Marcela Ribeiro Lopes, disse que vai sugerir que as equipes visitem a comunidade quilombola, que por estar em local afastado carece de alguns serviços. Ela observou que a vinda dos acadêmicos e professores universitários ao município será importante também para a capacitação dos servidores.