PDT lança candidatura de Odilon de Oliveira ao Governo de MS
Por Redação Publicado 21 de julho de 2018 às 12:36hs

O PDT fechou a sua chapa para a disputa do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul. O pré-candidato Odilon de Oliveira terá como vice-governador o empresário Herbert Assunção Freitas, ex-secretário executivo da Fundação de Apoio à Pesquisa ao Ensino e à Cultura (Fapec). A aliança encabeçada pela legenda conta com o Podemos e o Pros, devendo lançar 12 candidatos para as vagas de deputado federal e 34 para o parlamento estadual.

Na convenção deste sábado (21), o PDT anunciou também o ex-vereador Chico Maia (Podemos) e a professora Leocádia Petri Lemos, ex-reitora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e da Uniderp-Anhanguera, para disputarem as duas vagas ao Senado Federal. Nenhum dos dois compareceu ao evento, na sede do PDT/MS, em Campo Grande, pois estariam em viagem. Maia, que havia desistido de concorrer, voltou atrás na sua decisão.

Durante a fala, o presidente estadual do PDT, Dagoberto Nogueira, disse que o lançamento da chapa encerra os rumores sobre uma eventual desistência do juiz aposentado do pleito. O coordenador da campanha, João Leite Schimidt, adiantou aos jornalistas que o lançamento da candidatura não encerra as negociações do PDT com outros partidos. Entre as legendas que podem vir está o PRB, que trabalha o nome do senador Pedro Chaves para a reeleição.

Ao fazer uso da palavra, Odilon de Oliveira, já como candidato, destacou que se eleito não irá aumentar os impostos e que vai atrair empresas para aumentar a arrecadação estadual. Ele também falou que irá combater a corrupção e elencou educação, saúde, segurança pública e habitação como metas principais de seu eventual governo. O postulante ainda criticou a construção do Aquário do Pantanal, uma das obras mais emblemáticas de MS.