Parceria com hospitais assegura maior efetividade na regulação de pacientes
Por Redação Publicado 9 de abril de 2018 às 08:36hs

Cerca de 5 mil pacientes são encaminhados  por mês via Central de Regulação para os hospitais conveniados à rede pública de Saúde de Campo Grande.  Estratégias como a implantação das unidades de acolhimento e a parceria com as instituições têm auxiliado para que, mesmo diante de uma demanda cada vez mais crescente, o fluxo de atendimento diante de uma necessidade mais especifica não seja comprometido.

Apesar dos números de encaminhamentos serem significativos, os mesmos representam apenas 5% do volume total de atendimentos feitos nas 10 unidades de urgência e emergência do município. Mais de 100 mil pessoas são atendidas por mês nas seis unidades de pronto atendimento (UPAs) e Centros Regionais de Saúde (CRSs).

O alto índice de resolutividade de mais de 95% é comemorado pelo coordenador de Urgência da Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), Yama Higa, que explica que, desta forma, as unidades cumprem o seu objetivo contribuindo, inclusive, para desafogar os hospitais e, por sua vez, garantir a otimização do serviço.

“Nós costumamos dizer que é atender o paciente certo no lugar certo. Resolvendo o problema nas novas unidades a gente evita que os pacientes necessitem de um encaminhamento para um hospital que, consequentemente, ficaria sobrecarregando. É claro que existem casos mais específicos e complexos que exigem ainda um cuidado maior e para tanto nós contamos com apoio e parceria dos hospitais”, diz.

A Santa Casa de Campo Grande, maior hospital de Mato Grosso do Sul, é responsável por absorver 57% da demanda, enquanto o Hospital Regional Rosa Pedrossian recebe 20% e o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP) os 23% restantes.

O secretário de Saúde Marcelo Vilela reforça a importância da parceria com as instituições que, mesmo diante das dificuldades, têm contribuído na garantia do atendimento à população.

“O atendimento terciário, a Média e Alta Complexidade, que é feito pelos hospitais é extremamente importante. Hoje estamos vivenciando uma situação que nos preocupa muito e ao mesmo tempo nos mostra o tamanho da nossa responsabilidade. A demanda de atendimento têm crescido exponencialmente e isso tem se refletido nas enfermarias das nossas unidades de urgência. Felizmente nós podemos contar com a parceria dos hospitais que, dentro do possível e mesmo com todas as dificuldades, têm absorvido parte desta demanda”, finaliza.