Pacotão do Flu: Gerson resolve e faz a festa, e Levir leva "sombra" na estreia
Por Redação Publicado 11 de março de 2016 às 11:25hs

Treinador se reunirá com a diretoria do clube catalão para tentar contar com o craque brasileiro tanto nas Olimpíadas quanto na Copa América. Barça faz jogo duro

Dunga e Barcelona conversarão nas próximas horas por Neymar. O treinador da seleção brasileira chegou à Ciutat Esportiva Joan Gamper (nome do centro de treinamento do clube em catalão) às 12h20 (8h20 no Brasil) desta sexta-feira com o intuito de tentar, junto à diretoria do Barça e do técnico Luis Enrique, a liberação do craque tanto para Olimpíadas quanto para a Copa América. O clube catalão faz jogo duro, e a decisão final deve ser tomada no encontro, após as conversas.

Dunga chegou em um carro grande, com motorista e vidros bem escuros, mas é possível identificar nas imagens que trata-se do treinador. Havia mais pessoas no veículo, provavelmente seu auxiliar Andrey Lopes e o coordenador da CBF Gilmar Rinaldi.

A presença de Neymar no encontro também é possível, uma vez que o atacante está treinando normalmente no CT. O treino desta sexta começou pouco depois das 11h (7h no Brasil) e deve terminar pouco antes das 13h (9h no Brasil). Luis Enrique concederá coletiva de imprensa após a atividade, e é provável que a reunião aconteça logo em seguida.

As Olimpíadas serão realizadas em agosto, no Brasil, e a Copa América Centenário será disputada entre 3 e 26 de junho, nos Estados Unidos .

Se dependesse só de Neymar, Dunga poderia ficar tranquilo. O atacante, “fominha” por natureza – no bom sentido -, quer jogar tudo com o Brasil e já deixou clara sua posição ao Barça. Ao mesmo tempo, por outro lado, o craque não pensa em entrar em atrito com o clube catalão, onde vive grande momento e tem relação boa com todos, por isso não vai forçar o caso e respeitará a decisão.

Se tiver que escolher entre os dois torneios, Dunga indicou que vai optar por ter Neymar nas Olimpíadas, disputadas em casa, na busca pelo ouro inédito. O atacante seria um dos três jogadores com mais de 23 anos permitidos pelo regulamento para cada seleção.

As Olimpíadas têm um porém. Como não se trata de um dos períodos determinados pela Fifa para amistosos ou jogos oficiais, os clubes não são obrigados a liberar seus atletas com mais de 23 anos, ao contrário do que acontece na Copa América. Por isso é importante a negociação com o Barcelona, até mesmo para o caso de “trocar” a liberação de Neymar.

O comitê organizador da Copa América Centenário, por sua vez, faz pressão para que o craque brasileiro jogue a competição. Neymar é chamariz de todos os anúncios promocionais do torneio. Resumindo, alguém terá de ceder: ou Brasil, Neymar e Copa América, ou o Barça.

Fonte: Ge