Odilon fala sobre eleições de 2018 e avalia 1º semestre parlamentar
Por André Farinha Publicado 9 de julho de 2017 às 12:43hs
Vereador Odilon de Oliveira Júnior

Disputar o pleito de 2018 não está (oficialmente) nos planos do vereador Odilon de Oliveira Júnior (PDT). Ainda saboreando os primeiros meses do mandato parlamentar municipal, ele ressalta que o seu foco (político), no momento, está centrado em “representar aqueles que o elegeram” e “dar respostas aos anseios da comunidade”. Ao mesmo tempo, o jovem político não descarta concorrer – talvez ao cargo de deputado estadual, que se encaixa mais no seu perfil – caso receba uma determinação do partido.

“Estou focado no meu mandato, até para que possa fazer jus a votação que tive e corresponder aos anseios da sociedade. Em relação ao futuro político, as eleições de 2018, se o partido entender que a minha pessoa é necessária para compor o quadro político eu, com certeza, vou estar de pé e à ordem desse chamado. O meu perfil seria mais para o legislativo estadual.”, destacou o vereador Odilon de Oliveira Júnior, em entrevista nesta semana ao jornalista André Farinha, para o site de notícias R1 News.

Ainda no tema ‘Eleições 2018’, Odilon comentou sobre a possibilidade do seu pai, o juiz federal Odilon de Oliveira, sair candidato no próximo ano. Para ele, essa é uma pergunta que só o próprio Odilon (pai) pode responder, mas na sua visão, se viesse mesmo a acontecer, o pai tentaria o cargo de senador da República. “Hoje em dia, por conta de ser magistrado, meu pai não pode expressar sua opinião pública política. Creio que ele já contribuiu muito para o Judiciário, levando dezenas de traficantes para condenação e recuperando milhões de reais do tráfico, e acredito que pode contribuir muito com o nosso Estado estando num cargo de senador.”, comentou.

O primeiro semestre como vereador

Odilon aponta que esses seis primeiros meses como vereador de Campo Grande têm sido de grande aprendizagem. “Têm sido um grande desafio. Primeiro por ser um período de aprendizagem e, segundo, pela situação na qual encontramos a cidade. A rotina do vereador vai muito além do legislar e passa, principalmente, pela fiscalização. Recebemos muitos projetos de lei do Executivo e buscamos fazer uma espécie de pente-fino para prever quais serão os impactos, negativos e positivos, para que então possamos votar com segurança.”.

Vereador Odilon de Oliveira Júnior está no seu primeiro mandato parlamentar

Na Câmara, Odilon faz parte de quatro Comissões: da Juventude; de Política Antidrogas; de Segurança Pública; e de Legislação, Justiça e Redação. “Na Comissão Antidrogas, onde sou o presidente, estamos preparando uma pesquisa inédita para levantarmos dados estatísticos sobre a situação da droga nas escolas e nos bairros. Assim, poderemos traçar um plano de políticas públicas que seja voltado para cada região.”, destacou.

O vereador também participa das audiências públicas, como a que discutiu a cobrança retroativa da Cosip e a que debateu a falta de segurança nos cemitérios públicos. “Na audiência da Cosip, o encaminhamento motivou o Ministério Público a entrar com a ação que suspendeu a cobrança. A última que participei foi sobre a segurança dentro dos cemitérios, nesta, nós saímos com diligencias para que a Semadur e a Guarda Municipal façam a limpeza e o reforço das rondas.”.

Voltado às questões da Educação, especialmente no serviço prestado pelas escolas e Centros de Educação Infantil (Ceinf), Odilon fiscaliza as unidades educacionais e defende a escola de tempo integral. “Temos acompanhados as escolas e Ceinfs para ver como estão sendo tratadas as crianças, se está faltando merenda e as questões estruturais que precisam ser arrumadas. Eu tenho o sonho de que todas as crianças tenham o melhor ensino e que todas as escolas sejam de tempo integral para que possamos preparar as crianças para o futuro,”, afirmou.

O ‘braço da Justiça’ no Legislativo

Apesar de ser um estreante em eleições, Odilon de Oliveira Júnior foi o segundo vereador mais bem votado em 2016, totalizando 6.825 votos. O bom resultado nas urnas não o faz sentir nenhuma espécie de ‘pressão’, pelo contrário, traz um bom respaldo para o mandato. “A verdadeira ‘pressão’ que sofro é da minha consciência em tentar fazer o melhor não só para os que confiaram em mim, votando, mas para toda a cidade. Acredito que 80% dos votos que recebi tenha sido em reconhecimento ao trabalho do meu pai, eu penso que a sociedade devolveu toda a dedicação do juiz Odilon me dando a oportunidade de ser vereador.”.

Dentro dessa bandeira de ‘Justiça’, o vereador está como relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga os alvarás para exploração do serviço de táxi na Capital. Segundo ele, a expetativa é que a Comissão possa trazer luz para que esse serviço funcione da melhor forma possível. “Pretendo fazer um bom trabalho coletando dados a respeito dos alvarás que já foram encaminhados pela Agetran e ouvir os seus titulares para que possamos realizar um relatório contundente da atual situação, um raio-x, da situação dos alvarás dos táxi e assim dar um ponto final a essa suspeita.”, comentou.

“Busco ser [o braço da Justiça] todos os dias, votando com coerência dentro das normas legais da Constitucionalidade e agindo com ética, moral e civismo em todas as decisões que eu tomo.”

Um dos projetos de lei assinalados pelo vereador e que está em tramitação na Câmara Municipal diz respeito à realização de uma consulta pública por parte do Poder Executivo quanto à construção de um empreendimento ‘gigantesco’ na Capital. “Nós temos alguns projetos em tramitação, como a exigência de se realizar um plebiscito caso algum governante venha a construir obras ‘faraônicas’, como no caso do Aquário [do Pantanal] que consumiu milhões de reais e até agora não está pronto.”, citou.

Outro projeto de Odilon sugere a troca de pontos da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por doação de sangue. “Esse projeto vista atender a essa demanda que vemos diariamente no Hemosul, por exemplo, que precisa ter um estoque de sangue. A proposta foi aprovada por unanimidade na Comissão de Constituição e Justiça e agora vai às Comissões pertinentes e acredito que após o recesso de Julho estará apta para votação em plenário.”.

A política hoje

Questionado sobre a gestão do prefeito Marquinhos Trad, o vereador Odilon de Oliveira Júnior comenta que o chefe do Executivo Municipal tem atuado como um verdadeiro malabarista tentando equilibrar os diversos problemas e situações que Campo Grande passou nesses últimos anos. “No meu ver, Marquinhos tem conduzido muito bem essas situações. Tem discutido com as categorias a questão do reajuste salarial, tem dialogado bem com a Câmara Municipal e tem buscado solucionar os problemas que vão surgindo. Tenho fé de que neste ano vamos conseguir equilibrar as contas e que, no próximo ano, Marquinhos emplaque grandes projetos e seremos parceiros no que der e vier.”, afirmou o vereador.

Quanto às denúncias envolvendo o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul nas delações premiadas dos empresários Joesley e Weslley Batista, donos da JBS, Odilon destaca que são fatos que competem ao judiciário apurar. “É prematuro permitir qualquer juízo antes de ter total conhecimento dos fatos. Eu gostaria muito de ter acesso ao processo para ter um conhecimento mais profundo. Creio que a Justiça dará o encaminhamento que corresponda aos anseios da população.”.

Para ele, o presidente da República, Michel Temer, esta encontrando grandes dificuldades para conduzir o Brasil. Odilon também criticou as reformas propostas pelo Governo Federal. “Boa parte da população vê [Michel Temer] como um presidente ilegítimo. Ele também vem tentando implementar reformas que, ao meu ver, prejudicam muito o trabalhador. Eu tenho dúvidas se ele deveria renunciar ou continuar no processo sob o prejuízo de trazer mais problemas ao Brasil.”, avaliou.

Voltando suas atenções aos campo-grandenses, o vereador ressalta para que não desistam da política. “A política é o instrumento que Deus nos deu para que possamos mudar a realidade. A política não é ruim. O que é ruim são algumas pessoas que são colocadas em determinados cargos. Eu faço o convite para que venham participar conosco das sessões da Câmara e das audiências públicas. A população está clamando por melhorias na saúde, segurança e na educação, e tenho certeza de que não tem ninguém melhor para contribuir com isso do que a própria população.”, finalizou Odilon de Oliveira Júnior.