Na reta final, duplicação da Euler de Azevedo já mostra resultados positivos no trânsito
Por Redação Publicado 19 de dezembro de 2017 às 09:10hs

Em fase de finalização, as obras de readequação do tráfego na avenida Euler de Azevedo, em Campo Grande, são aprovadas por moradores e comerciantes que revelam já sentir os benefícios das intervenções refletidos na segurança do tráfego. Os investimentos são do Governo do Estado e somam R$ 16,1 milhões.

No local, foram instaladas barreiras de contenção de concreto no modelo New Jersey. De acordo com norma do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), esse tipo de dispositivo tem a capacidade de impedir colisões frontais e o agravamento de acidentes.

Ele detalha que a situação ficou ainda mais difícil após a inauguração do campus da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems) por conta do aumento na quantidade de veículos. “A instalação desses obstáculos dividindo a pista era necessária, vai melhorar o fluxo e diminuir os acidentes”, comemorou.Para quem acompanha diariamente o fluxo de veículos na via, os efeitos já são visíveis. “As conversões no meio da pista eram comuns”, contou o aposentado Carlos Medeiros, de 61 anos. Morador da região há 25 anos, ele revela que o trecho já está melhor mesmo antes da conclusão das obras. “Isso aqui já era uma prioridade há tempos, mas nenhuma administração fazia”, diz.

O administrador Ariovaldo Nogueira, de 57 anos, conta que utiliza a Euler de Azevedo desde criança e afirma que agora ela está em sua melhor versão. “Foi uma iniciativa fantástica que irá dinamizar o fluxo de veículos e aumentar a segurança no trânsito”, completa.

“Acho que a finalidade dessa contenção é evitar colisão frontal e isso já é um ganho, porque aqui o pessoal abusa mesmo, desce em alta velocidade”, conta o taxista Paulo Chinen, de 42 anos.

“A falta de educação dos motoristas fez as autoridades tomarem essa atitude”, comenta o comerciante Wilson José Vieira, de 46 anos, ao apontar os benefícios da duplicação da via onde já foram registrados diversos acidentes.

Para a estudante universitária Cássia Carolina, de 18 anos, as intervenções irão melhorar a vida dos pedestres, que sofriam para atravessar. “Acho que vai diminuir a velocidade dos carros porque eles correm demais. A obra está ficando boa. Demorou um pouquinho, mas saiu”, pontua.

A entrega da obra teve de ser adiada por conta do período das chuvas, que atrapalhou o andamento dos trabalhos. De acordo com a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), as adequações na avenida devem ser concluídas em aproximadamente uma semana, caso não haja chuvas fortes. Na fase final, serão finalizadas as muretas de contenção, meio-fio, instalação de dois traffic calming, plantio de grama em alguns trechos e sinalização.