Gabriela Pugliesi treina com a mãe, Vera Minelli: ‘Não somos neuróticas’
Por Redação Publicado 1 de dezembro de 2015 às 11:15hs

As duas posaram na academia e falaram de dieta e malhação: ‘É um estilo de vida, não uma obrigação. Não passamos fome’.

Gabriela Pugliesi, 30 anos, e a mãe, Vera Minelli, 51, costumam fazer sucesso nas redes sociais ao postarem fotos praticando atividade física juntas. O que pouca gente sabe é que Gabriela influenciou mais a mãe do que o contrário. “Puxei a genética dos parentes do meu pai, que são gordinhos. Então, comecei a me cuidar por saúde. Já minha mãe sempre se exercitou e começou a se cuidar pela estética”, diz Gabriela, que dá dicas para a mãe sobre alimentação. “Sempre fiz ginástica, mas aprendi a me alimentar bem por influência da Gabriela”, admite Vera, toda coruja: “Magra sempre fui, mas nunca tão saudável”.

Durante o bate-papo com o EGO, Gabriela falou de alimentos com calorias negativas (aqueles que têm maior gasto calórico durante o processo de metabolização do que o seu conteúdo de calorias totais), disse que sente diferença entre uma marca e outra de água mineral e falou que adieta e a prática de exercícios são um estilo de vida, não uma obrigação. “Não somos neuróticas, não passamos fome. A gente se esforça para ser saudável. O objetivo não é ser magra”, afirma.

Mãe e filha posaram na academia, mas elas gostam mesmo é de treinar ao ar livre. Na véspera das fotos dessa reportagem, Vera e Gabriela subiram 12 vezes o escadão do Sumaré, na Zona Oeste de São Paulo, que tem 162 degraus. “Subir de dois em dois degraus é bom para o bumbum!”, ensina Vera, que desde cedo praticava vôlei, tênis e o que mais pudesse. Atualmente, ela faz musculação quatro vezes por semana. Já Gabriela prefere o Mahamudra – método que alterna exercícios aeróbicos, acrobacias, crossfit, artes marciais, ioga e meditação.

“É importante fazer aparelho de musculação porque a gente vai perdendo músculos com o passar dos anos, mas faz muito tempo que não faço. A Mahamudra mudou meucorpo de um ano para cá”, conta Pugliesi.

‘Nunca digo nunca comerei’, diz Gabriela
Se a Mahamudra transformou a vida de Gabriela, cuidar da dieta fez toda diferença para Vera. “Há cinco anos, mudei a alimentação e melhorou tudo. Tenho mais energia, senti diferença no cabelo e na pele e meu intestino funciona melhor…”, enumera. “Ela come para caramba! Se eu comer o que ela come, eu engordo. Minha mãe come muito mais porque a genética dela é muito melhor. Cada um funciona de um jeito. Por mais que a gente troque ideias, cada uma tem uma alimentação completamente diferente e somos orientadas por profissionais”, compara Gabriela.

Apesar dos cardápios diferentes, as duas fazem questão de frisar que em comum não há neurose com alimentação.”Uma coisa que não faço de jeito nenhum é dizer que nunca mais comerei algo. Não existe esse nunca. Não aboli nada da minha vida para sempre. Se eu acordar de ressaca e quiser um gole de um refrigerante zero, vou tomar. Mas como cada vez menos besteira. Isso vai virando um estilo de vida, deixa de ser uma obrigação. Ontem, eu comi uma fatia e meia de pizza e o Erasmo (namorado) comeu sete fatias e meia”, diverte-se Gabriela. Entre as dicas que já deu para a mãe, destacam-se não tomar água com gás e consumir alimentos com caloria negativa, como abóbora madura. “Água com gás não é legal para a saúde, tem sódio. E a marca de água sem gás também faz diferença”, garante Gabriela.

“A gente não é nem lá nem cá, não somos atletas. Nunca me peso, não estou nem aí para números. A gente tem um estilo de vida, mas não somos neuróticas. Amo comer fruta, tenho prazer mesmo”, completa ela, apoiada pela mãe. “Superei o colesterol ruim alto quando mudei minha alimentação. Muita gente toma remédio para baixar o colesterol e continua comendo. Consegui regularizar os níveis só me alimentando bem”, orgulha-se Vera, para quem a beleza estética é consequência de um estilo de vida saudável. “Meu corpo aos 51anos é melhor do que era aos 38”, afirma ela, que está lançando um site no qual vai dar dicas de moda, beleza e nutrição para mulheres com mais de 40, sob orientação de profissionais de cada área.

A reportagem do EGO não ia sair da academia sem saber o segredo do tanquinho de Gabriela. “O segredo é dieta. Não existe abdominal que seque e não tem ginástica que dê jeito se não tiver dieta. Se você procura resultado, uma coisa está ligada a outra. Claro que fazer exercício é ótimo. Mas a barriga é resultado, principalmente, da alimentação”, avisa ela.

Agradecimentos: Bodytech Iguatemi.  Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2232, Jardim Paulistano, Lj. 09 -9º Andar, São Paulo – SP.  Telefone: (11) – 30325644.

Fonte: Ego

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!