Famílias que viviam na Cidade de Deus iniciam a construção da casa própria
Por Redação Publicado 19 de março de 2018 às 10:05hs
Rogério mostra como ficará a base de apoio para a construção - alojamento, sanitários, depósito e escritório.

 Depois de viverem por anos na favela Cidade de Deus, próxima ao lixão de Campo Grande, 327 famílias começam nesta segunda-feira (19.3) a construção de suas casas próprias. A realização do sonho foi possível graças a parceria entre Governo do Estado e Prefeitura, que se uniram para tornar realidade o sonho das moradias.

As casas serão construídas pelos próprios moradores no bairros Bom Retiro, José Teruel II, Canguru e Vespasiano Martins – locais onde as famílias foram reassentadas. Na primeira etapa da construção, serão erguidas 20 casas no Bom Retiro. Quem explica é o presidente do bairro, Rogério Carvalho do Carmo, de 31 anos.

“Vamos fazer um modelo de construção bem humanizado. São 160 moradores que vão construir todas as casas, por etapas. Assim vamos avançando nas quatro localidades”, revelou Rogério. Os beneficiários foram capacitados para o trabalho da construção civil por meio da Fundação Social do Trabalho da Capital (Funsat).

A Empresa Municipal de Habitação (Emha) fez a readequação dos projetos habitacionais e o Governo do Estado financiou a compra dos materiais de construção, que custaram R$ 4,9 milhões. “Vamos ter ainda todo um acompanhamento técnico para a construção, com espaço para alojamento e administração do canteiro de obras”, completou Rogério.

Ao lançar as obras, na semana passada, o prefeito Marcos Trad comemorou com os moradores. “Só ficarei feliz e com o coração leve quando vocês estiverem com a chave da casa de vocês, com tudo arrumado”, afirmou.

Diretora-presidente da Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab), Maria do Carmo Avesani Lopez, também celebrou a iniciativa. “O trabalho feito com essas famílias é de extrema importância porque são pessoas carentes que terão a oportunidade de sair da precariedade e realizar o sonho da casa própria”, afirmou.

Entre as pessoas que vão conquistar a casa própria está a aposentada Maria da Silva, de 78 anos. “Eu tenho cinco anos de barraco, dois aqui no Bom Retiro. Então estou muito feliz porque vou ter meu lugar, minha casa. Chega me arrepia”, contou a mulher, com um grande sorriso  no rosto