De forma inédita, Novo vence e avança no Brasileirão Série D
Por Redação Publicado 27 de maio de 2018 às 20:56hs

O Novo está na próxima fase do Campeonato Brasileiro de Futebol da Série D. O time da Capital conseguiu bater o Aparecidense na noite deste domingo (27), fora de casa, por 3 a 2, e assegurou a segunda posição do Grupo A11, com 10 pontos, de quebra, entrou no seleto grupo dos 15 melhores segundos colocados da competição, garantindo a classificação inédita para a segunda fase do nacional. O próximo adversário do Novo, agora na fase ‘mata-mata’, será outro time goiano, o Iporá.

O Novo será o único representante do Estado na próxima fase. O adversário, Iporá, ficou em primeiro lugar no Grupo A10 e encerrou a fase de grupos neste domingo com uma derrota, 2 a 1, para outro time de MS, o Corumbaense, que terminou na terceira posição e está eliminado.

De acordo com o calendário, a primeira partida entre Novo e Iporá será no dia 03 de junho, em Campo Grande, e a volta no dia 10, em Goiás.

Este é o terceiro ano seguido que um time de Mato Groso do Sul avança no campeonato brasileiro da Série D. Em 2016, o Sete de Setembro, de Dourados, foi eliminado na segunda fase pelo Fluminense de Feira de Santana. Já em 2017, o Comercial foi eliminado pelo Ceilândia.

O jogo

A partida de hoje definiria a vaga para a próxima fase por conta da situação bastante embolada do grupo. O Aparecidense reclamou muito da arbitragem, principalmente devido a uma falta que, primeiramente, havia sido marcada como pênalti pela arbitragem, que corrigiu a decisão e sinalizou a falta fora da área. O detalhe importante é que no primeiro tempo o jogador Nonato desperdiçou um pênalti para os donos da casa.

Os gols saíram todos na etapa complementar. O Novo abriu o marcador aos 17, com Luizinho, que aproveitou o contra-ataque e encobriu o goleiro Pedro Henrique, um golaço. Os campo-grandense ampliaram logo em seguida, com Emerson. A Aparecidense diminuiu aos 25, em cobrança de falta de Alex Henrique, sem chance para o goleiro. Aos 31, Naldinho fez o terceiro do Novo e, nos minutos finais, Gilvan descontou para os donos da casa.

Após o apito, jogadores e dirigentes do clube goiano responsabilizaram o juiz Edmar Encarnação (AM) e o quarto árbitro, Roberto Silva (GO), pelo resultado. Eles tiveram que deixar o campo com a proteção policial. A reclamação é por conta de um lance ocorrido antes do gol do primeiro gol do Novo, quando o juiz viu mão na bola da defesa do Novo e marcou o pênalti, mas o quarto árbitro informou sobre um empurrão do ataque goiano e a penalidade foi anulada.

O Novo encerra a fase de grupos com uma campanha regular. Dos seis jogos disputados, venceu três, empatou uma e perdeu outras duas. O clube só não ficou em primeiro lugar no grupo porque perdeu no saldo de gols, critérios de desempate. O time da Capital marcou sete vezes, mas sofreu sete tentos, ou seja, ficou com o saldo zerado. Já o Sinop, primeiro colocado, terminou com um único gol de saldo.

Série D

A última rodada do Brasileirão aconteceu simultaneamente neste domingo, foram disputados 34 jogos, todos ao mesmo tempo e os confrontos definiram os 16  jogos da primeira fase de mata-mata da competição nacional. Agora, 32 clubes seguem na briga pelo acesso à Série C de 2019 e, claro, pelo título na quarta divisão nacional.

Os 16 melhores primeiros colocados ficaram de um lado da lista de confrontos, no chamado Bloco I, cada um posicionado de acordo com a numeração do seu grupo. No Bloco II, ficaram o pior primeiro colocado (Linense) e os 15 melhores segundos colocados, também posicionados de acordo com a numeração de seus grupos.

Os times do Bloco I, por terem melhores campanhas que seus rivais no mata-mata, têm o direito de fazer a partida de volta em casa.

Maranhão, Rio Grande do Sul e Santa Catarina são os estados com mais representantes nesta segunda fase da Série D; cada um com três times. Em seguida aparecem Amazonas, Sergipe, Paraíba, Minas Gerais e São Paulo, com dois cada. E, fechando a lista, Acre, Pará, Amapá, Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte, Bahia, Brasília, Mato Grosso do Sul, Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Paraná.