Com respaldo do Governo do Estado, Campo Grande vira canteiro de obras
Por Redação Publicado 1 de novembro de 2017 às 11:00hs
Na avenida Euler de Azevedo, a obra conta com investimentos estaduais de R$ 16,1 milhões e contempla a duplicação da pista.

O suporte do Governo do Estado – tanto com recursos próprios quanto em parceria com a prefeitura e a Câmara Municipal pelo Programa Juntos por Campo Grande – tem estimulado o crescimento da Capital, transformando a cidade em um verdadeiro canteiro de obras com melhorias sendo executadas simultaneamente em vários bairros.

No bairro mais populoso da Capital, o Aero Rancho, a comunidade comemorou os trabalhos de drenagem e pavimentação da etapa G, que haviam sido interrompidas por atraso no repasse de recursos federais por meio da Caixa Econômica Federal. Para assegurar a retomada da obra, o Governo do Estado interveio e solicitou autorização para efetuar o pagamento à empresa responsável, com posterior ressarcimento.

“Na época de chuva era um sofrimento, um sacrifício. Falei: vou vender minha casa e ir embora porque estamos desprezados aqui. Agora, a obra deu uma esperança”, contou a dona de casa Maria Antônia da Silva. Os recursos de mais de R$ 1 milhão empregados na obra de asfalto em frente à casa de Maria Antônia e em diversas outras vias do bairro são provenientes do Ministério das Cidades, com execução da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul) e viabilizados por emenda parlamentar do deputado federal Fábio Trad.

No Nova Lima, região norte de Campo Grande, a população diz já estar sentindo os efeitos positivos das obras de drenagem e asfalto que têm mudado os cenários do bairro. Em algumas vias a pavimentação já está na reta final, em fase de instalação de calçadas e piso tátil.

“Aqui tinha um bacião [sic] de água que ficou uns quatro anos e não secava. Jogamos terra, mas não adiantava. Agora ficou bom”, conta Amilton Martins, de 77 anos, morador da rua Silvério Faustino, onde já foram feitas a drenagem e pavimentação. A obra é executada pela Prefeitura com recursos federais e contrapartida do Governo do Estado e foi viabilizada em parceria com a Câmara Municipal pelo Programa Juntos por Campo Grande.

Para os moradores do entorno do Núcleo Industrial Indubrasil, as obras são as primeiras melhorias recebidas nos últimos 15 anos. Orçada em R$ 6,6 milhões, a revitalização do local abrange 48 mil m² de área e inclui recuperar o asfalto já existente no entorno – que inclui a Vila Manoel Secco Thome, com drenagem e recapeamento, e ampliar a malha pavimentada melhorando o acesso às empresas instaladas na região.

Já na avenida Euler de Azevedo, as obras avançaram e as melhorias como a duplicação da pista têm animado os comerciantes do entorno. Eles acreditam que a segurança no trânsito será maior no trecho, aumentando o fluxo de veículos e atraindo maior movimento.

“Os clientes reclamavam que paravam o carro aqui na frente e caíam no buraco do canto da pista, agora vai ficar bem melhor, com certeza vai aumentar nosso movimento quando estiver pronto”, afirmou o atendente William Luan, de 20 anos, que trabalha há dois anos no local.

Na Euler, a obra conta com investimentos estaduais de R$ 16,1 milhões e contempla a duplicação da pista, uma nova capa asfáltica num trecho de 4,5 quilômetros, a construção de canteiro em frente à Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems), revitalização de “traffic calming” no início da avenida Presidente Vargas e a implantação de uma ciclovia.