‘Cassems Itinerante’ leva atendimento até Dourados e Jardim no próximo sábado
Por Redação Publicado 1 de março de 2018 às 11:10hs

O programa de assistência à saúde “Cassems Itinerante” leva atendimento especializado até Dourados e Jardim no próximo sábado (03). O objetivo principal do programa é amenizar as dificuldades encontradas pela população do interior do Estado no acesso à medicina especializada, nos locais onde não há disponibilidade desses serviços na Rede Própria ou na Credenciada. O psiquiatra Antônio Carvalho atende em Dourados e Jardim recebe atendimento com a geriatra Natalia Della.

A beneficiária Pâmela Soares, que é moradora de Naviraí, destacou a importância do programa quando ele traz atendimento especializado para perto da população do interior. “Com o endocrinologista vindo até a nossa cidade, a gente não precisa se deslocar até outras localidades. Eu trouxe minha filha para se consultar e, com a especialista aqui, nos traz muita facilidade”, aponta.

Também moradora de Naviraí, a professora Clarice Custódio Jacomeli conta que agora ficou mais fácil cuidar da saúde com atendimento perto de casa. “Para mim, foi ótimo porque eu tinha que ir até Dourados e Campo Grande para ser atendida, mas, com a vinda do programa resolveu a minha situação. Eu sou professora e sou muito sobrecarregada, então, procuro fazer tratamento com psicóloga e psiquiatra para me ajudar”, afirma.

Uma das profissionais que atendem no programa, a endocrinologista Lara Rubio explica a importância da especialidade e salienta a necessidade da população do interior desse tipo de atendimento.

“A endocrinologia é uma especialidade que aborda todos os transtornos hormonais e é de extrema importância para o organismo como um todo. Os municípios de Naviraí e região têm escassez de médicos e não existe esse especialista aqui. Por isso, o programa foi muito bem aceito pelos beneficiários e o retorno é muito gratificante”, avalia.

A psiquiatra Carolina Korndorfer explica que, assim como boa parte do Estado, Naviraí “é muito carente do ponto de vista da saúde mental, assim como o resto do Estado. Então, é importante trazer alguém que entenda de saúde mental, que saiba medicar do jeito adequado”, pontua.