Barragens em Corumbá e a taxa da Cosip em Dourados preocupam deputados
Por Redação Publicado 13 de fevereiro de 2019 às 16:21hs

Por: Christiane Mesquita Foto: Victor Chileno

O deputado estadual Neno Razuk (PTB), na tribuna da Casa de Leis, relatou nesta manhã (12) dois problemas enfrentados pelo Estado que, em seu mandato, terão prioridade. “Darei continuidade ao trabalho político de minha família atendendo todo o Mato Grosso do Sul. O que mais me preocupa atualmente é a situação das barragens da empresa Vale localizada em Corumbá e o estudo da Contribuição para o Custeio da Iluminação Pública dos Municípios [Cosip] em Dourados”, ressaltou o parlamentar.

“Devemos trabalhar juntos na questão das barragens, me preocupo com os córregos que secaram e ainda podem secar. Precisamos descobrir o que é feito pela Vale aqui no Estado e no mundo, pois os últimos fatos mostram que ela está prejudicando a vida de todos onde está instalada. Em relação ao requerimento apresentado sobre os dados da Cosip, saibam que a Prefeitura Municipal de Dourados estará pronta a enviar os dados necessários. O problema real que eu identifico em relação a essa taxa é a questão licitatória”, destacou Neno Razuk.

Barbosinha concorda com as afirmações de Razuk

O deputado estadual Barbosinha (DEM) acredita que o tema é muito importante. “A tragédia se repetiu, houve um afrouxamento das normas. Este sistema esta colocando a vida de famílias em perigo, além do impacto ambiental que pode ser causado. A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul deve participar ativamente deste processo, verificando todas as medidas que serão tomadas. Quanto a Cosip, o custo licitatório é, na maioria das vezes, maior do que a compra. Dourados precisa de um programa que leve a energia elétrica e faça a reposição. A cobrança é fundamental, mas o fornecimento também é”, registrou.

Para o deputado estadual Evander Vendramini (PP), o município de Corumbá vivencia os perigos das barragens ali instaladas há anos. “Duas empresas estão no território, a Vetorial e a Vale, estas empresas precisam de um plano de fechamento para que não haja passivo ambiental após a saída delas de lá. As mineradoras já despejam rejeitos de minérios no ar, que atingem as ruas da cidade e quando há ventos fortes é tudo espalhado. É necessária a contenção das barragens. Devemos cobrar da empresa uma efetiva proteção das barragens. O córrego Piraputangas pode deixar de existir”, explicou.

Comissão

“Formaremos uma comissão de parlamentares para verificar in loco a situação das barragens instaladas em Corumbá, com o objetivo de fazer os encaminhamentos e reivindicações possíveis para as soluções adequadas aos problemas que serão elencados nesta visita”, informou o deputado estadual Herculano Borges (SD), 2º secretário da Casa de Leis.

FONTE: ALMS

 

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!