Aulas da REME iniciam dia 6 e escolas começam a receber produtos da merenda
Por Redação Publicado 26 de janeiro de 2018 às 09:49hs

Com o início das aulas da Reme (Rede Municipal de Ensino) no dia 6 de fevereiro, a Suale (Superintendência de Alimentação Escolar) já começou a entregar nas unidades escolares, os produtos que irão compor o cardápio da merenda escolar em 2018.

A entrega dos mantimentos começou pelos Ceinfs (Centros de Educação Infantil) e na segunda-feira (29) será a vez das escolas começarem a receber as mercadorias. Segundo o superintendente da Suale, Cassiano Cangussu, a entrega começou 15 dias antes do início das aulas para garantir a tranquilidade na distribuição. Ele explica que os fornecedores entregaram os produtos no depósito da Suale entre dezembro e janeiro, graças a celeridade do processo licitatório, que teve início no começo do segundo semestre de 2017.

Caminhões da Semed e de outras secretarias estão realizando a distribuição dos mantimentos, que irão garantir o primeiro mês de merenda. No entanto, as compras foram programadas para atender as unidades durante todo o período de aulas do próximo ano. O orçamento previsto para gastos com alimentação escolar em 2018 é de R$ 21 milhões, sendo R$ 11 milhões oriundos de repasse do FNDE.

Ao todo serão entregues nesse primeiro mês, 158.463 quilos de alimentos secos, além de carne bovina e frango. Já os hortifrutis somam 91.349 quilos.

“Cuidamos da questão do empenho em dezembro porque muitas indústrias entram em férias coletivas em janeiro, dessa forma garantimos a merenda antes do início das aulas. Apenas os hortifrutis serão entregues na véspera do início das aulas para garantir o frescor”, ressaltou Cassiano.

Na lista de produtos que farão parte do cardápio das unidades escolares estão alho triturado; biscoito tipo Maria; rosquinha de coco; farinha láctea; pó para o preparo de bebida láctea sabores: chocolate, morango e salada de frutas; adoçante dietético; colorau; farinha de trigo; açúcar; arroz; extrato de tomate concentrado; feijão; macarrão; óleo de soja e margarina.

Quanto aos hortifrutigranjeiro, a chamada pública número 01/2017 contemplou 119 produtores da agricultura familiar. Foram comprados banana nanica; batata doce; beterraba; cenoura; mandioca crua com casca; melancia; poncã; repolho verde; tomate; abobora paulista; abobora verde; banana maçã; cebolinha; cenoura; couve; laranja; mamão formosa; salsa e alface crespa.

As chamadas públicas para hortifrutigranjeiros obedecem ao PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) que determina que as redes de educação municipais devem incrementar o cardápio com gêneros alimentícios produzidos na região, beneficiando a agricultura familiar e os empreendedores rurais.

Cardápios

A nutricionista Lilian Droppa, responsável técnica pela elaboração dos cardápios explica que este ano foram desenvolvidos 11 tipos de cardápio, que irão atender os Ceinfs, escolas urbanas, integrais, escola agrícola, escolas do campo, entidades cadastradas no FNDE e alunos do Programa Novo Mais Educação.

Só para as escolas do campo foram elaborados cinco tipos de cardápio, pois o objetivo é atende as peculiaridades e necessidades de cada unidade. Ao todo, a Reme conta com 104 escolas e 100 Ceinfs.

Fórmulas especiais para as crianças de zero a seis meses, bem como alimentos específicos para crianças a partir dos seis meses também compõem a merenda este ano, com o fornecimento de achocolatado diet sem glúten; biscoito de arroz sem glúten e sem lactose; biscoito de polvilho com e sem glúten; biscoito sequilho sem glúten e sem lactose e leite em pó integral sem glúten e sem lactose.

O superintendente da Suale afirma que esses produtos serão entregues após o período de confirmação de matrículas, para evitar o desperdício. “Dessa forma poderemos saber com exatidão quantas crianças necessitam desses produtos”, disse.

A nutricionista Lilian Droppa destaca que a Semed segue as orientações do PNAE, que visa assegurar e ofertar alimentação adequada às faixas etárias das crianças.

De acordo com o Programa Nacional de Alimentação Escolar, os cardápios elaborados pelas nutricionistas devem respeitar o emprego da alimentação saudável, diversificando os alimentos e buscando o respeito a cultura, tradições e os hábitos alimentares de cada região do país.