Asfalto ‘esfarela-se’ na região sul após passar pela 1ª chuva forte
Por Redação Publicado 13 de fevereiro de 2017 às 11:00hs

A chuva que ocorreu durante o fim de semana causou estragos nas ruas de Campo Grande. Na rua da Divisão, no Jardim Parati –região sul da Capital– a enxurrada removeu parte do asfalto durante a tarde de ontem (12), deixando um buraco de quase um metro de profundidade e em pontos que foram beneficiados pela Operação Tapa-Buracos a pavimentação está esfarelando-se.

No local, o trânsito ficou comprometido em virtude da baixa velocidade que os motoristas tiveram de trafegar para desviar dos buracos. Segundo moradores, a via recebeu pavimentação recentemente.

De acordo com o mecânico Genivaldo Jesus Mendes, 39, que tem uma oficina na rua da Divisão, o asfalto foi “removido’’ pela chuva da tarde de ontem. “Eu saí para almoçar e quando voltei para a oficina até me assustei com o buraco”, conta o mecânico.

Moradores do Jardim Aero Rancho e do Jardim Leblon também revelaram à equipe de reportagem sobre alagamentos causados pela chuva de ontem, que também danificaram o asfalto. Ao todo foram 72 raios registrados na Capital durante a chuva.

Na semana passada, uma equipe do jornal O Estado acompanhou trabalhos de equipes da prefeitura que consertavam o estrago feito pela chuva na avenida Rachid Neder, que teve uma grande parte do pavimento removido pela enxurrada, poucos dias depois de ser “reformada”.

No início de janeiro, a prefeitura da Capital firmou um acordo de R$ 50 milhões para as obras da Operação Tapa-Buracos. A equipe de reportagem entrou em contato com assessoria da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), para questionar a respeito dos motivos que o asfalto colocado durante a operação não estão resistindo às chuvas. Porém, a assessoria afirmou que responderia apenas hoje (13), mas adiantou que quando o fato aconteceu na Rachid Neder, a empreiteira contratada pela administração teve de refazer a obra sem custo extra para o município.

Conforme dados cedidos pelo meteorologista da Uniderp, Natálio Abrahão Filho, a região do Jardim Parati foi a que teve o maior índice pluviométrico da Capital,  registrando uma média de 27,5 mm na região, seguido pela vila Santa Dorothéia, que teve volume de 24,2 mm.

Em Campo Grande, o volume de chuva registrado até ontem foi de 124 mm,e 72% dos 171 mm previsto para fevereiro inteiro.

Fonte: O ESTADO/Luis Vilela Assumpção