Artilheiro do Grêmio segue passos de Roger na faculdade: "Feliz com rotina"
Por Redação Publicado 4 de agosto de 2015 às 10:56hs

Jovem Pedro Rocha, goleador no Brasileiro com 4 gols, começou a cursar Educação Física e fala de novos hábitos, como ler bastante, em entrevista ao GloboEsporte.com

Até uma semana atrás, Pedro Rocha vivia apenas uma rotina de treinos, jogos e descanso. Em algum momento de seu dia, a partir de agora, o artilheiro do Grêmio no Campeonato Brasileiro terá de dedicar aos estudos. O jovem iniciou o curso de Educação Física em uma universidade na região metropolitana de Porto Alegre. Segue os passos do técnico Roger, que também é formado echamava atenção pelos hábitos de estudo e leitura. A joia gremista de 20 anos, que está em negociação para renovar o contrato, se dedica à academia para ampliar os conhecimentos e entender melhor o que faz no dia a dia como atleta profissional. O GloboEsporte.com acompanhou a segunda aula de História e Introdução a Educação Física do jogador gremista na faculdade, na última segunda-feira

Pedro Rocha terá que colocar em sua rotina as aulas à noite. É levado pelo pai, seu Jessé, o mesmo que anota os gols do filho num caderninho desde os duros tempos de categorias de base. Ele não é o único: o volante Araújo também estava em uma sala ao lado. E, na própria turma de Pedro, estava o zagueiro Hugo, do time sub-19 – o clube tem uma parceria com uma universidade, com bolsa para atletas. A figura de Roger ajudou na escolha, assim como as orientações da família.

– A gente sabe que o Roger é bastante estudado, a gente vê no dia a dia, nos treinamentos dele. É bem atualizado no futebol. Acho que pesou um pouco, sim, isso. Até para saber muitas vezes um exercício que eu faço, para fazer da forma mais adequada, da melhor maneira. É mais para um conhecimento geral, mesmo, que é importante – analisou o jovem atacante.

José Rogério Vidal, professor da disciplina na qual Pedro Rocha assistia a aula, afirmou que vai cobrar do jovem aluno tanto quanto Roger faz nos treinos. Espera que o “jogador-estudante” possa virar algo comum nos clubes de futebol e não mais exceção.

– Como gremista, espero que continue fazendo muitos gols. E aqui, durante a formação, possa também fazer gols, porque no futuro pode retornar isso para a educação física, sendo um bom profissional. Não sou técnico, mas posso garantir que na busca de um bom profissional, cobro tanto quanto o Roger – disse Vidal ao GloboEsporte.com.

Aos 20 anos, conta com quatro gols no Brasileirão e é o artilheiro gremista na competição. No ano, divide o posto com Giuliano e Luan, com oito, todos destaques da equipe de Roger. O jovem chegará ao Gre-Nal do próximo domingo, pelo Brasileirão, na Arena, pela primeira vez com pinta de titular e protagonismo.

GloboEsporte.com: Então, Pedro, como tem sido tua rotina de conciliar os estudos e os treinos na tua vida, juntos?
Pedro Rocha: Está sendo muito bom, é uma experiência nova para mim. Estou bastante tranquilo, focado, principalmente no futebol. Apareceu esta grande oportunidade, que não poderia deixar escapar. Estou muito feliz, meus pais sempre passaram também que estudar é importante. Estou fazendo isso desde o começo para ter um ganho lá na frente.

Como teve essa ideia de entrar na faculdade… tu já isso nutre faz mais tempo?
Surgiu através do Grêmio, que tem uma parceria com a universidade. Está sendo muito bom, temos que aproveitar bastante as oportunidades que a vida dá. Tem que saber lidar com isso também.

Mas já pensava em fazer faculdade desde garoto ou foi mesmo por ter surgido a oportunidade? 
Surgiu a oportunidade. Terminei o ensino médio e até então estava só jogando. Essa oportunidade surgiu e foi muito boa até para aprimorar meus conhecimentos, também. Isso na minha visão é muito importante.

Foi influência de alguém, por exemplo o Roger, que cito porque estudou muito para ser treinador? 
A gente sabe que o Roger é bastante estudado, a gente vê no dia a dia, nos treinamentos dele. É bem atualizado no futebol. Acho que pesou um pouco, sim, isso, até para saber muitas vezes um exercício que eu faço, para fazer da forma mais adequada, da melhor maneira. É mais para um conhecimento geral, também, que é importante.

E o que achas que vais aplicar no dia a dia?
Exatamente, é o objetivo, também. Aprender, estudar é sempre bom. Estou bastante focado nisso, aprender e estudar, porque sei que lá na frente vai me ajudar muito.

Falando lá na frente, justamente, a ideia é ser treinador? Qual a intenção após se formar?
Não estou pensando muito nisso. Quero estudar, mas quero fazer minha carreira no futebol. Estou aprimorando cada dia, mas o foco é no futebol. Lógico, essa oportunidade apareceu e a gente tem que aproveitar, também.

Conta um pouco da tua rotina, sei vai ter que estudar on-line. Tem a disciplina tática de correr atrás do lateral, agora vai ter que ter a disciplina para estudar, também…
A correria do dia a dia, né, que todos os brasileiros temos que correr e lutar. Está sendo muito bom. Eu treino, a gente vai para casa, depois tem que vir para faculdade, depois acordar cedo para treinar de novo. Está sendo muito bom. Tem que saber conciliar os estudos no futebol.

Que ganho, na prática, podes ter? Um exemplo do que pode melhorar pelo estudo…
A gente vai estudar muito o corpo humano, músculos, exercícios. A gente estuda para chegar no campo e estar passando isso até para outros companheiros. Os profissionais do Grêmio entendem muito disso e já passaram por isso. É mais para, no dia a dia, fazer um exercício da maneira correta, para futuramente não ter problemas com o corpo.

No vestiário, como encararam isso? Já tem brincadeira, não? 
Sempre brinco que tenho que correr para ir para a faculdade. Tem a brincadeira. É sadia, todos sabem que é importante estudar, a maioria sempre apoia em relação a isso. Estou bastante tranquilo, minha família me deu muito apoio. Estou feliz com a minha rotina.

Tem colegas de clube que também estão estudando, com o volante Araújo. Como é isso para vocês também, conversam sobre no clube? 
Exatamente, tenho alguns colegas, o Araújo, que treina no dia a dia comigo, a gente conversa bastante. Ele me passou algumas coisas antes de começar, me animou um pouco. Ter esses colegas em sala de aula é bom, às vezes acaba se soltando mais, fica mais integrado. Está sendo muito bom. No a dia a dia, trocamos algumas conversas, algumas coisas sobre a aula. É importante para a gente.

E os colegas aqui na aula? Rola tietagem e já tem feito amizades? 
Confesso que no começo fiquei meio ansioso por causa disso, achei que seria diferente. Está sendo tranquilo. Lógico que sempre tem alguns gremistas fanáticos, que vem e desejam boa sorte e pedem uma foto. Mas estou assimilando bem este tipo de assédio, está sendo muito bom.

 Como foi teu ensino médio e a rotina de estudos?
A vida de jogador é corrida, a minha não foi diferente. Estudei algumas escolas, justamente por jogar em vários lugares. Existia isso de um ano estar em uma escola, em outro ano estar em outro estado, em outras escola. Aos poucos fui me adaptando a isso, aos ambientes. Me formei em São Paulo.

Que disciplinas achas que vai gostar, ter mais afinidade? 
Comecei agora em relação ao corpo humano, de exercício, a parte mais parte mais prática ajuda bastante. Futebol é bastante falado nas aulas, é uma coisa que exige bastante do corpo. E até para entender de modo geral a forma que se faz a educação física. Tenho bastante tempo para estudar e entender.

Conhecemos o atacante Pedro Rocha, como é o aluno Pedro Rocha?
Estou pegando o hábito de ler bastante, alguns professores já passaram que vai ser importante para mim. Estou gostando. É um aluno tranquilo, que quer sempre evoluir e o melhorar, não só no futebol, nos estudos, também. Estou batalhando para que ocorra da melhor maneira.

Esse hábito da leitura, já tinhas?
Gostava de ler livros mais de esportes, futebol e etc. Mas vi que aos poucos vou ter que passar a ler livros que não vão ser do meu gosto, mas que vão ser de fundamental importância nesta matéria.

A concentração é um espaço que vocês ficam fechados. Vai levar livros para estudar?
Vou ter aula a distância no sábado, de manhã vou ter que levar livros, estudar. Mas focado no jogo, que é importante. É a nossa vida, temos que trabalhar, estudar para ter mais conhecimento.

Estamos em outro contexto, mas não poderia deixar de perguntar sobre o gol perdido no Maracanã (veja no vídeo acima). Fica incomodando muito na cabeça?
A gente, no decorrer do jogo, fica um pouco chateado, por ter perdido um gol. Mas sabemos que trabalhamos bastante para isso, estamos sujeitos a ocorrer este tipo de lance. Temos trabalhado bem em cima disso. Na melhor oportunidade, eu sei que a gente vai estar fazendo.

E, também, és o artilheiro do Grêmio na competição… a bola vinha entrando. 
A gente está trabalhando bastante para isso, não são todas que vão entrar, mas nos esforçamos ao máximo para fazer os gols.

O que tu esperas do Gre-Nal, teu primeiro como titular e mais protagonista?
Estou com mais de um ano no Grêmio, na base não tinha jogado Gre-Nal, este é o primeiro, estou muito feliz, por estar como titular. Sei que o torcedor vai fazer uma festa e a gente vai dar o máximo para sair com a vitória.

Fonte: Ge