Artesãos de Campo Grande comemoram novo espaço para exposição de trabalhos
Por Redação Publicado 19 de março de 2018 às 09:19hs

O espaço da Cidade do Natal, nos altos da Avenida Afonso Pena, transformou-se neste domingo (18) em um ambiente de arte e poesia. Até às 18 horas de hoje, os campo-grandenses terão a oportunidade de apreciar e adquirir os trabalhos dos artistas locais e ainda prestigiar a programação cultural no local, que é palco da abertura da 11ª edição da Semana do Artesão, promovida pela Associação de Artesãos de Mato Grosso do Sul e também do projeto “Poesia, Sempre Poesia”.

Ao visitar o local nesta manhã, o prefeito Marquinhos Trad, que estava acompanhado do secretário de Governo Antônio Lacerda e da secretária de Cultura Nilde Brun, falou da importância desse espaço para as famílias da Capital.

“Recebemos esse local completamente destruído e, em poucos meses conseguimos reestruturá-lo para a realização da Cidade do Natal, que foi um dos maiores pleitos da população naquela época. Mas um espaço tão importante não pode funcionar somente um mês no ano. Neste sentido, começamos hoje a por em prática nosso projeto de tornar esse um local de entretenimento, arte e cultura para todos, e a vinda dos artesãos para cá é o primeiro passo”, disse o prefeito.

Marquinhos defende que a realização da feira dos artesãos naquele local criará uma nova identidade para a cidade. “A intenção é dar todo o apoio para que seja uma feira mensal permanente e criar uma identidade cultural da cidade como já acontece nas demais capitais do país, onde as feiras que expõem os trabalhos dos artistas locais fazem parte da programação dos turistas. Vamos dar essa oportunidade para os artistas mostrarem e comercializarem seus produtos; atrair cada vez mais as famílias e, assim, fazer com que os campo-grandenses tenham orgulho desse local”, justifica o chefe do Executivo Municipal.

Os artesãos concordam com o prefeito e disseram que já se sentem em casa. “Esse é sem dúvida um momento maravilhoso para os artesãos, que passam a ter direito de utilizar esse espaço, que já faz parte da rotina das famílias aos domingos. Para mostrar a nossa arte precisamos do público, que já existe nos altos da Afonso Pena. A ideia é fantástica e já nos sentimos em casa aqui”, ressalta a artesã Helaine Paredes D’ávila, que há mais de dez anos confecciona materiais em barbante.

Na opinião de Alexandra Camillo, que produz arte em cerâmica há mais de 20 anos em Campo Grande, a arte precisa ser acessível às pessoas e a ‘Cidade do Natal’ já tem um público cativo que agora terá a oportunidade de aproveitar para conhecer toda a riqueza cultural dos artistas. “Eu já participo da feira na Praça do Imigrante, onde é comum as pessoas irem em busca de artesanato. Ampliar o acesso para levar esse trabalho, que retrata a cultura da nossa cidade e da região, para um maior número de pessoas sem dúvida fortalece a nossa identidade. Aqui também tem um público fiel, que adotou o local para lazer e esporte aos domingos. Agora as pessoas terão novas opções de entretenimento”.

A servidora pública Lourdes Maria, de 58 anos, concorda com Alexandra. “Eu venho todo domingo caminhar ou relaxar aqui nos altos da Afonso Pena e com essa feira de artesanato o local fica ainda mais agradável para passar o tempo e até mesmo para que possamos adquirir os produtos. Está aprovada a vinda da feira e espero que seja permanente”, disse a moradora do Bairro Mata do Jacinto, que aproveitou o domingo de passeio para visitar a feira junto com a filha e o neto.

A titular da Sectur, Nilde Brun, reforça o compromisso da gestão municipal com a cultura e com os artistas. “Junto com o nosso prefeito identificamos que esse local tem características favoráveis para sediar eventos como a feira do artesão e não vamos poupar esforços para fazer com que os artistas se sintam cada vez mais valorizados e assistidos pelo município.

Em sua 11ª edição, a Semana do Artesão, promovida pela Associação de Artesãos de Mato Grosso do Sul, com apoio da Prefeitura de Campo Grande e do Governo do Estado, acontece no período de 18 a 24 de março com feiras em vários locais.

No total, serão cinco dias voltados à divulgação do artesanato sul-mato-grossense de intercâmbio entre o público e o artesão. As feiras acontecem também na Casa do Artesão, Morada dos Baís, Assembleia Legislativa, Centro Cultural José Octávio Guizzo, Praça dos Imigrantes e bairro Moreninhas. As exposições, que marcam o Dia do Artesão, celebrado no dia 19 de março, têm entrada gratuita.

Poesia

O evento “Poesia, Sempre Poesia”, realizado pela Associação de Internacional de Poetas – entidade sul-mato-grossense com representações em 69 países, terá uma ação especial ao longo do dia, com a doação de livros, como parte do projeto “Leve um livro para doar”.

O projeto envolve literatura, artes plásticas, a paz como ciência, cultura da paz, meio ambiente, sustentabilidade, gênero e violência, política, corrupção. Os temas são abordados por meio de conferências, debates, lançamentos de livros e exposições.

O objetivo é estimular seus associados e parceiros a construírem espaços que incentivem a participação de todos, em um universo que desperte o interesse pela leitura, pela arte, pelos problemas do cotidiano, aguçando o pensamento crítico, estimulando as produções e manifestações culturais.

A presidente da entidade, Delasnieve Daspet, convoca as pessoas que pretendem ir até os altos da Avenida Afonso Pena neste domingo a levarem “aquele livro que está encostado na biblioteca de casa, e que servirá para compor as cestas de livros para crianças carentes”.

A abertura da 11ª Semana do Artesão contou com a presença do diretor-geral de compras e licitações, Ralphe da Cunha Nogueira e do superintendente de Cultura da Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania, Ricardo Maia.