André Salineiro: o vereador ‘mais bem votado’ avalia primeiros meses como parlamentar
Por André Farinha Publicado 4 de junho de 2017 às 11:30hs
André Salineiro, vereador de Campo Grande (Foto: Arquivo/André Farinha)

Não, ‘pressão’ não é a palavra que traduz o sentimento de André Salineiro (PSDB) por ter sido o vereador mais bem votado no pleito de 2016. Muito pelo contrário, a palavra certa é ‘representatividade’ que, conforme o dicionário online de Português, é “a qualidade de alguém, de um partido, cujo embasamento na população faz que ele possa exprimir-se verdadeiramente em seu nome”. Salineiro recebeu 8.776 votos, número parecido com o que somou nas eleições de 2014, quando concorreu a deputado estadual, registrando 8.719 votos, mas sem ter sido eleito para o cargo.

Paulista de Tupã, André Salineiro tem 41 anos de idade e está há 10 anos na Polícia Federal. Pós-graduado em Gestão Empresarial, Direito Penal e Processual, ele também é especialista em segurança pública e conselheiro comunitário de prevenção ao uso de drogas, além de ser autor de dois livros: ‘Colapso Econômico – A política de impostos no Brasil’ e ‘Gestão Estratégica em Segurança Pública’.

“Não sinto pressão por ter sido o mais [bem] votado, mas sim muita responsabilidade. Eu tenho que honrar cada voto recebido”, comentou o vereador André Salineiro, em entrevista exclusiva ao jornalista André Farinha, para o portal de notícias R1 News. “Confesso que foi inesperado ficar como primeiro colocado, mas poderia dizer que o sucesso nas urnas foi justamente por ser um estreante, não vir da política; os votos me surpreenderam e agora é honrá-los”, completou, ao ser questionado sobre o fato de ter sido o candidato mais bem votado logo na sua primeira disputa [ao cargo de vereador].

Completado cinco meses de mandato no último dia 1º, André Salineiro classifica o primeiro semestre parlamentar como positivo. No período, foram 176 indicações à Prefeitura Municipal e 10 projetos de leis apresentados. “Estou procurando aprender, mas já me sinto ambientado. Neste tempo já foi possível fazer muitas coisas como, por exemplo, indicações e projetos de lei, como a criação do sistema de coleta móvel de sangue, o Fundo Municipal de Segurança Pública, e a obrigatoriedade da Prefeitura em relacionar os medicamentos existentes e em falta nos postos de saúde e informar onde a população pode encontrá-los na rede municipal de saúde”, disse.

Outra proposta apresentada pelo vereador institui no calendário da Capital o Dia Municipal de Combate a Corrupção, que será celebrado anualmente no dia 16 de Novembro. Segundo Salineiro, a data será marcada por ações, palestras e informações sobre a temática. “Será um dia para conscientizarmos o Município à oferecer palestras educativas, informações e materiais gráficos sobre o combate à corrupção. É um dia para que as pessoas parem e pensem ‘poxa, o que estou fazendo e o que posso fazer para contribuir para combater a corrupção?’”.

O cenário político

Questionado sobre os escândalos políticos que estão sendo descobertos no Brasil e também no Estado de Mato Grosso do Sul, envolvendo deputados, governadores, ministros e até mesmo o presidente da República, Michel Temer (PMDB), André Salineiro comenta que vem de uma instituição [Polícia Federal] que prima muito pelas investigações e destacou que as apurações [dos envolvidos] precisam ser feitas. “Meu posicionamento sempre foi, e sempre será, de que as apurações têm que ser feitas. Claro, tem que ser dado o direito de ampla defesa em qualquer acusação. Às vezes, a forma repentina de exposição do nome de uma pessoa faz com que, através de uma denúncia, se torne réu sem ter condições de provar sua inocência. Se forem provadas as acusações, então que sejam condenados”.

O vereador frisa que este seu posicionamento é indiferente do partido político dos investigados. “Lembro muito bem da época em que surgiram denúncias contra o senador Aécio Neves, tempos atrás, antes de virem à tona provas concretas. Eu já dizia ali que, apesar de ser do mesmo partido, os fatos tinham que ser averiguados e, se fosse comprovado, deveria ser condenado”, completou.

Quanto as acusações envolvendo o presidente da república e o governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), o vereador ressalta que, no caso de Michel Temer, os fatos precisam ser comprovado, e no caso de Reinaldo, ele acredita na honradez do colega tucano. “Em relação ao presidente Temer, as provas estão aí e, agora, precisam ser comprovadas. A partir do momento que for condenado, terá que renunciar. E quanto ao governador Reinaldo, eu creio muito na sua inocência até que ser prove o contrário”.

Dedicado ao Legislativo

Considerado como um dos vereadores mais atuantes nesta atual legislatura, André Salineiro aponta que vem trabalhando em segmentos importantes da sociedade campo-grandenses, como Segurança Pública, Saúde, Educação e Empreendedorismo. “Assinamos dois projetos importantes dentro da Segurança, a criação do Conselho Municipal de Segurança Pública e o o Fundo Municipal de Segurança Pública. No Empreendedorismo, estamos trabalhando em alguns projetos que visam estimular o setor. Estamos trabalhando também no projeto Cidade Vigiada, enfim, muitas coisas boas estão por vir”, sinalizou.

Na Saúde, uma das lutas que o vereador tem encabeçado é pela volta do atendimento no terceiro turno nas unidades de saúde. Segundo ele, “não se pode admitir que os postos tenham horário de atendimento como se fossem bancos ou cartórios, com hora para abrir e hora para fechar”. “A gente vê que muitas pessoas não conseguem ir ao posto no horário de expediente do seu serviço, o trabalhador tem que faltar para conseguir um atendimento ou simplesmente para marcar a consulta. O que temos explicado para Prefeitura é que colocar o terceiro turno não seria uma grande demanda financeira, mas sim uma questão de remanejamento administrativo dos servidores”, explicou.

André Salineiro reforça seu compromisso com a população e com o trabalho parlamentar. “Continuo animado com a possibilidade de fazer um trabalho bom na área do legislativo, na qual me propus. Estou dedicado exclusivamente a isso e estou procurando executar da melhor forma possível esse trabalho. Não é fácil ocupar um cargo político com a descrença política de hoje. Você é pré-julgado por pessoas, pelos próprios cidadãos, mas acho que uma das missões é justamente procurar ajudar a quebrar esse paradigma. Vou procurar cumprir essa missão da melhor forma possível”, finalizou o vereador.