Alta nos homicídios foi revertida na Capital onde assassinatos caíram até 66% em 2017
Por Redação Publicado 31 de outubro de 2017 às 12:00hs

 A alta nos homicídios em Campo Grande apontada pelo Anuário Brasileiro de Segurança divulgado nesta segunda-feira (30.10) – que se refere a 2016 em comparação com o ano anterior – já foi revertida neste ano. Dados da Superintendência de Inteligência de Segurança Pública do Estado apontam redução dos crimes letais na Capital que chega a 66% nos casos de latrocínio.

Segundo o anuário, 2016 foi o ano com o maior número de mortes violentas intencionais já registrado no Brasil, com sete pessoas assassinadas por hora. Mesmo assim, MS apresentou índices de violência inferiores à média nacional.

E esses números foram ainda mais reduzidos em 2017, após maciços investimentos na área de segurança pelo programa MS Mais Seguro. Titular da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), José Carlos Barbosa, conta que em 2015 já havia previsões estatísticas sobre provável aumento da criminalidade para 2016, em parte decorrente da crise econômica.

Para evitar que os índices no Estado disparassem, foi criado o programa MS Mais Seguro que reestruturou as forças policiais e foi responsável pela entrega de mais de 600 viaturas aos 79 municípios, além de veículos e armamentos. Ao todo, o programa prevê R$ 115 milhões em investimentos estaduais até o final do ano de 2018.

O resultado é que os dados de 2017 apontam redução na criminalidade em comparação com o ano anterior. De janeiro a setembro de 2016 foram registrados 12 latrocínios na Capital, contra quatro no mesmo período deste ano – redução de 66,7%.

Nos homicídios dolosos, a variação foi de menos 27,3%, com 110 casos no ano passado, contra 80 no mesmo período deste ano. Os homicídios culposos também foram reduzidos na Capital, com 48 casos de janeiro a setembro de 2017 contra os 60 que haviam sido registrados no ano anterior.

“Os dados estatísticos em 2017 comprovam que os investimentos feitos pelo Governo do Estado em Segurança Pública estão surtindo os efeitos esperados, que são de redução dos índices de criminalidade. Desde julho do ano passado até agora já foram mais de R$ 76 milhões aplicados. Isso demonstra que mesmo diante da crise econômica pela qual o Brasil passa, o governador Reinaldo Azambuja definiu essa área como a prioridade de sua administração”, destaca o secretário da Sejusp.

“De outra parte, se queremos pensar na redução permanente da criminalidade, faz-se necessário que o Governo Federal auxilie os estados e que haja investimentos em políticas públicas, como vem sendo feito na Educação, Cultura, Esporte, Lazer e Infraestrutura. Não pode ser atribuído tão somente à segurança pública a responsabilidade pelo aumento da violência”, finaliza José Carlos Barbosa.