Açúcar começa semana com forte valorização
Por Redação Publicado 26 de abril de 2016 às 14:42hs

Os preços do açúcar iniciaram a última semana de abril com forte valorização nas bolsas internacionais e no mercado interno

Dentre as principais razões para o aumento, segundo analistas da H.Commcor está a expectativa dos números que a Unica – União da Indústria de Cana-de-açúcar deve soltar amanhã com a moagem da primeira quinzena de abril.

Na bolsa de Nova York, o vencimento maio/16, valorizou 37 pontos no comparativo com os preços da última sexta-feira, e negócios firmados em 15,63 centavos de dólar por libra-peso. No vencimento julho/16, a alta foi de 42 pontos e negócios em 15,89 cts.

Londres acompanhou o cenário positivo e fechou com valorizações que oscilaram entre 7 e 8,10 dólares a tonelada. Na tela de maio/16 os negócios fecharam em US$ 460,40 a tonelada, alta de US$ 7,10 no comparativo com a sexta-feira. No vencimento outubro/16, a commodity fechou em US$ 455,50 a tonelada.

Ainda segundo a H.Commcor, “a expectativa quanto ao resultado de atividade do setor sucroalcooleiro para esta quinzena, é grande, devido ao clima favorável à colheita e a incidência de sol, que traz ganho aos níveis de ATR. Para a moagem, a expectativa circula em torno de 30 milhões de toneladas, e, segundo a Kingsman, os números deverão ser de 28 mi ton em moagem, 1,032 mi ton em açúcar, 109 kg/ton de ATR e um mix de 35,5% para o açúcar. Produzidos por 209 usinas em atividade”.

Cálculos do Cepea – Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP, destacam que o grande percentual viabilizado ao açúcar se deve principalmente a vantagem que o adoçante tem tido sobre o biocombustível. “O açúcar cristal chegou a remunerar 75% a mais que o hidratado, na semana passada”, destacou a H.Commcor.

Para o clima, segundo a Somar Meteorologia, uma frente fria avança pelo Brasil colocando fim a um período de tempo seco que já durava 50 dias em algumas áreas produtoras. Na quinta-feira, uma forte massa de ar polar derruba a temperatura no sul do Brasil, porém sem potencial para geadas nas áreas produtoras. No leste do Nordeste, espera-se uma semana com pouca chuva. As tempestades retornam nos primeiros dias de maio.

Mercado domésticoron

O mercado doméstico fechou em alta segundo índices do Cepea/Esalq, ontem (25), com negócios firmados em R$ 76,25 a saca de 50 quilos do tipo cristal, alta de 0,53% no comparativo com a sexta-feira.

Fonte: Portal do Agronegócios