95.200 contribuintes declararam o imposto de renda em MS
Por Ariel Moreira Publicado 4 de abril de 2017 às 11:33hs

De janeiro a março deste ano cerca de 95.200 contribuintes entregaram a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2017, em Mato Grosso do Sul. No Brasil esses dados se atualizam no mesmo período em 7.276.776 declarações entregues. No país este número equivale a 27,7% do total de 28,3 milhões de documentos esperados, segundo balanço divulgado pela Receita Federal do Brasil/MS.

Segundo o auditor fiscal e delegado da Receita Federal Edson Ishikawa em Mato Grosso do Sul a estimativa esperada é que cerca de 390 mil contribuintes declarem o IRPF.

O prazo para declaração é de 2 de março até 28 de abril. O programa gerador da declaração está disponível no site da Receita Federal.

São obrigados a declarar:

Rendimentos tributários superiores a R$ 28. 559,70;

  • Obteve, em qualquer mês, ganho ao alienar bens ou direitos sujeitos à incidência do imposto, ou ao realizar operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Obteve receita bruta na atividade rural em valor superior a R$ 142.798,50;
  • Teve, em 31 de dezembro de 2016, posse, propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor superior a R$ 300.000,00.

Este ano há algumas mudanças como a atualização automática (atualizar a versão do aplicativo sem realizar o download pelo site da Receita Federal do Brasil); entrega sem necessidade de instalação do Receitanet (não será necessário a instalação do Receitanet separado); recuperação de nomes (ao digitar ou importar um nome para um CPF/CNPJ, o sistema armazenará o nome para facilitar o preenchimento futuro); rendimentos isentos e não tributáveis (agora existem as abas “Rendimentos” e “Totais”, as informações são inseridas em “Rendimentos”, selecionando o Tipo de Rendimento); solicitação via celular e e-mail (permite ampliar as informações do cadastro de pessoas físicas).

Lembrando aos contribuintes que a multa por atraso na entrega da declaração será de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculado sobre o imposto devido, com valor mínimo de R$ 165,74.

Joana Lima, com informações da Receita Federal